Páginas

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Poema: Último "À Deus"

Imagem: reprodução da Internet

Se é diante do túmulo o meu último "À Deus"
Deixo pra trás tudo o que foi desavença entre nós. A lembrança de momentos felizes vai imperar.

Diante da tua lápide te dou "À Deus". 
Oro para que possas descansar em paz.
As lágrimas vão se reverter em risos ao lembrar dos momentos em que fomos alegres.

Vou fugir dos espaços vazios que você deixará em nosso lar. A dor da perda vai demorar muito para passar, pois saudade é ferida aberta que demora para cicatrizar.



Por Senhorita Matos


Sofar Belém: Strobo - "Ostentação"

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Poesia e ritmo latino são marcas da banda A República Imperial

Foto: Divulgação (Arquivo Pessoal) 
Ritmos latinos e poesia são as marcas registradas da banda paraense autoral A República Imperial, que apresenta o show Cinema Ór, na próxima sexta-feira (19), às 20 horas, no auditório da faculdade Fibra da Gentil, com entrada franca. O público vai poder dançar as músicas do primeiro EP da banda (“Cinema Ór”) e também já terá a oportunidade de conhecer músicas inéditas do grupo, que estarão no segundo EP, previsto para ser lançado no primeiro semestre de 2015.


Formada por Kenji Yonezawa (violão), Inês S. Fernandes (baixo), Daniel Pinheiro (bateria), Genessi Rodriguez (vocais), Glaucia Freire (vocais), Alex de Castro (vocais), Eliezer Reis (trompete) e Milton Cavalcante (guitarra), A República Imperial teve início em 1º de janeiro de 2013. “Esse show vai ser um anúncio do que vem em 2015: ano em que vamos lançar dois EP's, um deles é o ‘Cinema Ór’ em formato físico para as prateleiras. Este trabalho é uma vitória que levou um ano pra gente e agradecemos ao selo do Estúdio Livre que acredita em nosso trabalho. O segundo EP deve sair em maio e ainda vai ter clip e singles”, acrescenta o músico Alex de Castro.

sábado, 25 de outubro de 2014

MC Daniel Costa precisa de apoio para representar o Pará em BH

Foto: Carlos Borges
O jovem paraense Daniel Costa, de 16 anos, precisa de apoio para representar o Pará na terceira edição do Duelo de MCs Nacional. O evento vai reunir, em Belo Horizonte, artistas e amantes do movimento hip hop de todo o Brasil para saber quem será o vencedor da batalha na qual vai ganhar o título de Melhor MC Improvisador da cultura hip hop. Além do paraense Daniel Costa, mais sete representantes de outros estados brasileiros vão “brigar na garganta”, pelo título, em novembro deste ano, no viaduto de Santa Tereza, em Minas Gerais.

O MC, que ao pé da letra significa mestre de cerimônia, é o que se comunica através das rimas, no movimento hip hop. “Fazer rima não é o mais importante. O fundamental é passar uma mensagem através dessa rimas”, explica Daniel. “Essa batalha acontece no viaduto de Santa Tereza, em Belo Horizonte. Para conseguir ganhar a vaga para disputar o duelo nacional, primeiro eu tive que ganhar a Pré-Eliminatória da Batalha da Floresta, tendo duelos diretos com Everton MC, Black Zion e Magrinho, de Castanhal. Após isso, eu ganhei a eliminatória tendo duelos diretos com os MCs Everton, Rog e Gabriel GB”.

Por ser um evento independente, para ser realizado é necessária a quantia de R$ 25.990. Por causa dessa necessidade foi aberta uma campanha na internet, pelo site catarse, para que as pessoas possam contribuir com doações. “Conto com o apoio de todos para doarem a partir de dez reais, pois estou me dedicando bastante, treinando muito. Prometo dar o meu melhor e honrar o estado do Pará”, garante o MC Daniel Costa. 
Foto: Carlos Borges

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Música "Hurt", de Johnny Cash



Poema: Medo do escuro

Imagem: Reprodução da Internet


Não tenho mais medo do escuro. Cresci. Tinha
quando era uma menina. Agora, sou mulher.


Aprendi que temos que enfrentar os nossos
temores. Descobri que não há nada além do breu
da noite quando não têm luar e estrelas no céu.



Aliás, não existe nada se eu pensar que estou
protegida. Pois se eu temer o que pode esconder a
escuridão fria da noite... dá arrepios, mas coisas
ruins podem acontecer em plena luz do dia.


Então, medo do escuro é bobagem. É coisa de
menina, e eu, eu já sou mulher.






By Senhorita Matos

domingo, 7 de setembro de 2014

“Roda do Sincopado” é o novo projeto de Reginaldo Viana

Cantor e compositor Reginaldo Viana está com novo projeto - Foto: Valério Silveira


“Eu sempre soube que algo de artístico tinha na minha vida”. Essa era a sensação que o cantor e compositor paraense Reginaldo Viana possuía ao despertar para a vida artística, quando ainda era muito jovem. Hoje, já se passaram vinte anos de envolvimento com a música dentro das escolas e em cima dos palcos, seja na carreira solo ou na regência. Após o lançamento do seu primeiro projeto musical, o CD “Azul”, Reginaldo Viana está produzindo o seu mais novo trabalho: o CD “Roda do Sincopado”. 

Neste novo projeto, Reginaldo Viana destaca as parcerias dos renomados percussionistas paraenses Márcio Jardim e Eraldo Santos, e o seu diferencial com a direção artística de ambos: “a raiz do processo desse trabalho está sendo a partir da percussão, as guias de gravações do novo CD já iniciam com a percussão, ao invés de começar com instrumentos harmônicos, primeiro estamos preparando voz e percussão pra depois surgir os instrumentos harmônicos. Em geral, os arranjos de harmonia iniciam os trabalhos musicais para depois entrar a percussão, mas estamos fazendo o contrário. Queremos algo novo”, ressalta.

O cantor teve a ajuda dos percussionistas nas pesquisas sobre as rodas musicais, que são muitas - rodas de samba, rodas de capoeira, rodas de carimbó, cirandas de roda, entre outras - além dos gêneros que elas possuem dentro de si como o choro, o chorinho, o merengue, o marabaixo, etc. “Para mim foi muito gratificante e enriquecedor abstrair toda a percussão desses gêneros musicais com o apoio do Márcio Jardim e do Eraldo Santos. Queremos fazer uma leitura contemporânea, pop e viva, resultando num trabalho moderno, ligado aos instrumentos eletrônicos, mas que enalteça tudo o que parte do natural, tudo o que vem da nossa cultura”.

Outro músico que também entrou de cabeça e está contribuindo bastante para o projeto “Roda do Sincopado” é o paraense Renato Rosas (banda Farofa Black). A produção está por conta da publicitária e especialista em marketing artístico, Adriana Camarão que avisa: até o final deste mês, Reginaldo Viana terá uma agenda definida para outubro, além da elaboração do primeiro clipe musical, que está sendo concebido justamente em cima da ideia desse novo projeto.

Apesar de já ter patrocínio e apoiadores como o Shopping Pátio Belém, a empresa Rei do Mate e a Fundação Tancredo Neves, “Roda do Sincopado” ainda precisa de apoio e mais recursos para se concretizar. “Estamos nas fases de gravações. Há partes do projeto que já estão em execução, mas ainda temos muito trabalho pela frente. Precisamos de mais patrocinadores, temos que captar mais recursos”, lembra o músico que também pretende usar a internet para divulgar uma mostra do trabalho, como sites que disponibilizam downloads gratuitos. 

A ideia do CD é fazer o público extravasar, sacudir, vibrar. “Eu quero com o ‘Roda do Sincopado’, trabalhar coisas que são populares. Quando eu penso em algo sincopado, que na leitura técnica musical significa tudo àquilo que é ritmado, o que é quebrado, tudo aquilo que nos faz balançar, que movimenta o nosso corpo”, explica o músico, remetendo de onde vem o nome do novo projeto.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Clipe "Nessa Cidade" - Vanguart


Poetas, plágio e redes sociais

Imagem: reprodução da Internet
Compartilhamento é a palavra chave das redes sociais. É por meio delas que artistas, famosos ou anônimos, disseminam as suas obras. Um exemplo muito comum desse fato é o uso do Facebook por alguns poetas paraenses como Antônio Juraci Siqueira, Alex Contente, Jorge Andrade e Eduardo Santos. Os quatro, assim como muitos outros poetas, usam esse site de relacionamento para expor as suas obras literárias quase todos os dias. Mas é preciso ter muito cuidado com o plágio, um tipo de crime muito comum com pena prevista em lei.

Poesia Avatar

No break é meu nome
sobrenome, estabilizador
o corpo, sistema operacional
perfil, homepage
meu coração, software
pentium é meu cabelo, 
olhos de gigabytes
nos meus ouvidos, áudio
minha mente, hd
minha memória, ram
o cérebro, tecnológico
mãos de mouse
pernas de webcam
cara de monitor
meu instinto, acelerador
do pensamento, velox
minha imaginação, conexão
meu desempenho, processador
a alma, multimídia
o intelecto, Intel
meu objetivo, conectividade
meu sangue é o link
minha ideia, o e-mail
meu medo, o vírus
meu deleite, delete
minhas confissões, arquivos
meu raciocínio, bug
minha vida, liga e desliga.


Poesia de Alex Contente

Artista Marcos Cardoso fará Workshop Pedagógico


Dando continuidade a programação da exposição Mostra Carioca, acontece nos dias 3 e 4 de setembro o Workshop Pedagógico com o artista Marcos Cardoso. As inscrições ainda estão abertas. São 20 vagas distribuídas em duas oficinas. Escolha a sua e faça sua inscrição pelo telefone (91) 4009-8845. Oficinas especiais para professores das redes pública e privada de todos os níveis de ensino e instituições e demais interessados.


SOBRE O ARTISTA:

Formas geométricas e cores modeladas em sacolas de plástico de supermercados. Essa é a principal matéria-prima utilizada pelo artista plástico Marcos Cardoso. Suas obras são construídas em dimensões variadas, bordando e costurando o que antes eram simples sacolas e embalagens de plástico.

Nascido no Rio de Janeiro, em 1660, o artista viveu em Paraty. Formado em Educação Artística pela Escola de Belas Artes, Marcos Cardoso frequentou também o Atelier de Gravuras da Escola de Artes Visuais do Parque Lage no Rio. 

Seus trabalhos e técnicas artísticas também foram incorporados à linguagem visual dos barracões das escolas de samba cariocas. Dividiu experiências artísticas com a artista Lygia Pape e os carnavalescos Joãozinho Trinta e Max Lopes.

Suas obras estão espalhadas por varias instituições no Brasil e no mundo, como a Fundação Cartier em Paris e o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.


SERVIÇO:

Workshop Pedagógico com o artista Marcos Cardoso 

Dias 3 e 4 de setembro
Hora: Das 10 às 12h
Local: Casa das Onze Janelas
Informações: (91) 8800-5914 / 4009-8845

Perfil - Poeta Antônio Juraci Siqueira

Por Antônio Juraci Siqueira
Foto divulgação
Antonio Juraci Siqueira é marajoara de Cajary, município de Afuá, onde, em menino, descobriu a literatura nos folhetos de cordel. Licenciado Pleno em Filosofia pela Universidade Federal do Pará, pertence à várias entidades litero-culturais, entre as quais a União Brasileira de Trovadores, Centro Paraense de Estudos do Folclore, Malta de Poetas Folhas & Ervas e Cirandeiros da Palavra.

Atua como professor de filosofia, oficineiro de literatura, contador de histórias e performista. Possui mais de 80 títulos individuais publicados entre folhetos de cordel, livros de poesias, contos, crônicas, literatura infantil, histórias humorísticas e versos picantes. Colabora com jornais, revistas e boletins culturais de Belém e de outras localidades além de contar com mais de 200 premiações literárias em vários gêneros, em âmbito nacional e local. 

Participa em mais de cem coletâneas e antologias em verso e prosa, entre estas, “Poesia do Grão Pará”, “Anuário de Poetas Brasileiros”, “Brasil Trovador Vol.1, 2 e 3,” “O Livro da Malta de Poetas I, II e III,” “Texto & Pretexto”, “Antologia da Trova Escabrosa”, “Antologia de Sonetos Sobre a Trova”, “Trovadores Brasileiros da Atualidade”, “O Melhor do PQP”, “Introdução à Literatura Paraense, vol. I e IV”, “No Além Todos Não Morrem”, “Vôo Noturno”, etc ) além de colaborar com revistas, jornais e boletins culturais de Belém e de outras localidades.

É vencedor de vários Jogos Florais e Concursos de Trovas em todo o Brasil, totalizando mais de duzentas premiações, incluindo outras composições como o haicai, o soneto, o conto, poemas em versos livres e brancos e a crônica.


É responsável pelo Blog do Boto - ttp://juracisiqueira.blogspot.com


Livros lançados 

1 – Verde Canto – poesia, Mithograf, Belém, 1881

2 – Travesseiro de Pedra – Poesia, Falangola, Belém, 1986

3 – Piracema de Sonhos – (Prêmio Secdet,1985) Poesia, Imprensa Oficial, Belém, 1987; 

4 – Os Versos Sacânicos – Versos de humor, Falangola, 1989

5 – Estrelas de 4 Pontas – Trovas, Falangola, Belém, 1989

6 – Alma em Pedaços – Trovas e poemas avulsos, Belém, 1990

7 – Espelhos & Punhais – Poesia, ed. semi-artesanal, Belém, 1991 

8 – Brasão de Barro – Poemas amazônicos, Vinas Editoração, Belém, 1992

9 – O Chapéu do Boto – Lit. de cordel em quadrinhos, M.M & Lima, Belém, 2002

10 – Irmã Serafina Cinque, O Anjo da Transamazônica - Biografia em cordel, Manaus, 2002

11 – Uirá - Pirá, a Saga do Peixe-Pássaro, poesia, Edições Papachibé, Belém, 2004 

12 – Viola de Quatro Cordas – Trovas Líricas e Filosóficas, 1995

13 – Do Jeito Que o Diabo Gosta e N. Sr. Consente – Trovas/humor,1995

14 – Juraci Park – Fábulas e versos picantes, 1997

15 – Eu, o Filho do Boto – Histórias ao molho de malagueta, 1997

16 – Kararaô e outros poemas – poemas selecionados, 1999

17 – O Roubo da Bunda – Histórias do arco da velha, 2000

18 – ABC de Orfeu – exercício de aliteração, 2000

19 – Alma em Pedaços II – Sonetos e trovas, 2000

20 – O Nascimento do Siriá – Folclore em cordel, s/data

21 – O Bicho Folharal - Literatura de cordel para crianças, s/data

22 – Cândido Rondon – O Paladino da Paz – Lit. de Cordel, s/d

23 – Banquete de Eros – Versos líricos e eróticos, 2001

24 – A Trova no Folclore – Centro Paraense de Estudos do Folclore, 2003

25 – Quem Souber, Levante o Dedo! – 100 trovas adivinhas, 2003

26 – Esta Vida é um Jogo, Bicho! - Trovas dos bichos do jogo, 2003

27 – História Sem Pé e Sem Cabeça I e II– Cordel sobre escritores. 

28 – Como Evitar Queimadas – Cartilha em cordel - Projeto Curupiras Ambientais, 2003

29 – Tirando Vantagem do Lixo “ “ “ “ “ “ “

30 – Baladeira não é Brinquedo “ “ “ “ “ “ “

31 – O Perigo dos Animais Soltos “ “ “ “ “ “ “

32 – O Estuprador de Melancias-Histórias do Caboclo Paraense 

33 – Colméia deTataíra – Versos de Circunstância, 2004

34 – Peleja de Fulgêncio Batista X Totó Siqueira - Cordel, 2004

35 – Encavernado e outros Escritos, (Contos e Crônicas)2004 

36 – Zorra Astral – Horóscopo em Verso & Prosa

37 – Criadores & Criaturas – Textos sobre Obras e Autores

38 – A Vingança do Ataíde em favor do Manguezal - Projeto Povos dos Manguezais - 2006

39 – Os Novos Versos Sacânicos - Versos de Humor - 2006

40 – Fazendo na Vida Pública o Mesmo que na Privada - Versos de humor- 2006 

41 – Na Teia do Poema - poesia - 2006 

42 – Rastros de Luz - Trovas, trovas , 2006

43 – Canto Caboclo, trilogia Amazônica, Ed. Paka-Tatu, Belém, 2008

44 – Incêndios e naufrágios, antologia poética, Ed. Paka-Tatu, Belém, 2008

45 – Paca, Tatu, Cutia Não! - Poemas infantis sobre a fauna amazônica, premiado no edital de literatura infanto-juvenil da Secult, selo “Imagina Só!”, Belém, 2008

46 – Acontecências – Crônicas da Vida Simples, Edições Papachibé, 2010

47 – O Menino que ouvia estrelas e se sonhava canoeiro, prênio IAP em Lit. de Cordel, 2010

48 – Marés – Poemas de argila e sol, poesia, Ed, Cromos Artesanal, Belém, 2010

49 – Pétalas do Riso – 100 trovas humorísticas, Edições Papachibé, Belém, 2011

50 – Kitito, o cãozinho sem pé de grilo, literatura infantil, Edições Papachibé, Belém, 2010

51 – Itaí, a carinha pintada – Liter. Infantil, Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 2012

52 – Balaio de Gatos – miscelânea literária – Edições Papachibé, Belém, 2013



Premiações literárias recebidas ( Enumere cronologicamente)

* Vencedor do I Concurso Literário de Temática Regional, gênero poesia, com o livro Piracema de Sonhos (Secdet, 1985)

* Vencedor do II Festival de Poesia da FCAP ( 1º e 2º lugar – 1982)

* Vencedor do I Concurso CATA de Literatura - Poesia

* Vencedor do II Concurso CATA de Literatura - Contos 

* Vencedor do I Concurso Literário Funtelpa/Rádio Cultura (5 poemas)

* Vencedor do Concurso Um Poema Para Belém (Semec/Detur)

* Vencedor da III Chuva de Arte Amazônica (Semec/Detur)

* Vencedor do 3º Concurso de Poesia Aparício Fernandes (Edições Clarear)

* Vencedor do I Concurso de Poesia de São Bernardo do Campo/SP

* Vencedor do VIII Concurso Verso e Prosa, Caxias do Sul/ RS.

* Prêmio “Jorge de Lima” pela participação no Livro da Malta, concedido pela União * * * * Brasileira de Escritores e pela Academia Carioca de Letras.

* Vencedor do Edital de Literatura Infanto-Juvenil da Secult, 2008, selo “Imagina Só!”, com o livro sobre a fauna Amazônia para crianças, “Paca, Tatu, Cutia não!”

* Vencedor do Festival de Poesia de Santarém, 2009

* Vencedor da II Mostra de Literatura do Servidor Estadual ( Crônica e Poesia), 2009

* Vencedor do Concurso de Poesia Popular da UBT de Maranguape/CE, 2009

* Vencedor do Edital de Música da Secult, edição 2009, com “Que Ritmo é Esse, Juraci?”

* Vencedor do Prêmio IAP de Edições Culturais em Literatura de Cordel, 2010

* Vencedor do prêmio Edição “Patativa do Assaré” de Literatura de Cordel, Funarte, 2010

Perfil - Poeta Jorge Andrade

Foto divulgação

Álvaro Jorge de Sena Andrade, Jorge Andrade, brasileiro, paraense, nasceu na cidade de Santa Maria de Belém do Grão-Pará; é formado em Letras pela UFPA, 1985, e pós graduado em Ensino de Literatura pela UUFPA-UEPA, 1994; é professor da rede pública desde 1985; letrista, contista e poeta. 

Lançou os livros através de concursos
- A face da rua (poesia) (semec, 1980),

- A parábola dos cegos (poesia) (secdet, 1982),

- Móbiles (letras de músicas), 1990;

- Em memória da chuva (IAP-2006);

História Contada em Círculos (2013)_ edição do autor


Editou e publicou os folders de poemas: 

- entre palavras I e II, 1993,

- Poemas, 1995,

- itinerário, 1997,

- pausa, 1999,

- ludo, iludo-me, 2001,

- pelo menos poema I, 2013,

- pelo menos poema II, 2014



Editou o livro de poemas:

- História contada em círculos (cd-autor, 2012);



Lançou o CD de música:

- Entre outras coisas, o cd, edição do autor, 2012, de músicas em parceria com Floriano Santos.



Participações em filmes e documentários:

- Participou do documentário de Ricardo Miranda, Empinador de Pipa, 2009;

- Fez ponta no filme da série Fronteiras, quarto episódio: "Até a Vista", 2010;

- participou do espetáculo-documentário MULHERES, direção de Márcia Freitas, 2012;

- participou como figurante do filme órfãos do Eldorado, 2013


Participações em livros, antologias:
- tem poemas publicados nas revistas POESIA SEMPRE (Funarte), Nº 34, 2010;

- participou das antologias poética: POESIA DO GRÃO-PARÁ, organizado pela poetisa Olga Savary

- participou do concurso POESIA DÁ VINHO, Porto Alegre, 1983

- participou da agenda da editora SETE LETRAS, 2012

- antologia do EXTREMO-NORTE, 2014

- antologia do CONGRESSO DE POESIA, 2013, Porto alegra



Tem músicas com:


Jango Miranda,

Pedrinho Cavaléro,

Paulo Moura,

Ziza Padilha,

Nego Nelson,

Floriano,

Nilson Chaves

Vital Lima

Marcos Campelo

Márcio Farias

Poli Dourado

Pedrinho Callado

Renato Torres,

Ivan Cardoso,

Erico Dimiceli

Mário Mousinho,

Everaldo Pinheiro,

Iuri Guedelha,

Leandro Dias,

Marcelo Sirotheau,

Biratan Porto,

Ropi,

Luiz Pardal,

Gileno Foinquinos

Jacinto Khawage,

Fabrício dos Anjos

Léo Tocantins

Joãozinho gomes

Príamo Brandão

Joel Cantão

Felipe Cordeiro

Delclei Machado,

Mário Morais,

Diego Leite

Laíla Cardoso

Camila Honda

Natália Matos

Camila Alves

Ana Martel-AP

ZéMiguel-AP

Gabriel Andrade-AP

Tiago Amud-RJ

Vidal Assis-RJ

Sérgio Souto-RO

Fábio Cadore-SP

Felipe Silles-RJ

Luiz Moura-RJ

Sóstenes Rodrigues-PE

João dos Anjos-BH

Perfil - Poeta Eduardo Santos

Foto divulgação

Eduardo Santos é paraense, nascido em 2 de outubro de 1974, em Belém do Pará. Despertou para a poesia logo aos 12 anos de idade, em plena sala de aula. É reconhecido pela mídia e profissionais literários como uns dos poetas mais atuantes da região. 

Sua maneira de produção artesanal de livros o levou a diversos programas de rede nacional, onde se destacam os programas do Jô, Mais Você e o jornal Diário de São Paulo, quando através deste, teve o reconhecimento nacional definitivo de sua produção artesanal e, com isso foi incluído no Livro dos Recordes - Guinness Book, como o maior produtor de Livros feitos à mão, do mundo. 

Em 2003, foi homenageado no circuito cultura Amazônia Celular, no Café com Verso & Prosa. Também neste ano, foi homenageado na VII Feira Pan-Amazônica do Livro, no Café das Letras. Em 2004 , dividiu o palco do teatro Ferreira Gullar, em Imperatriz-Ma, no show ''Raízes'' com o cantor Zeca Baleiro. 

Atualmente, ministra bate-papos e oficinas em escolas e universidades da rede pública e particular da região. E, também, através de sua livraria itinerante, adaptada em sua bicicleta, divulga sua poesia e comercializa seus livros nas principais praças da cidade. 

Em 2008 sua bicicleta livraria, foi mostrada em 16 países da Europa, através da Amazon TV. Em 2009 foi destaque no 3º Salão do livro de Tucuruí. Em Belém, realizou um de seus maiores sonhos: teve com êxito o seu próprio estande de forma personalizada na Feira Pan-Amazônica do Livro. 

Em 2010, resolveu mergulhar de cabeça no mundo editorial, onde criou a SANTmel arte editora. Neste ano 2014, mais uma vez, triunfa na como uma das únicas editoras paraense nesta edição da pan, lançando oficialmente cerca de 12 novos autores. 

Perfil - Poeta Alex Contente

Foto de Leka Liares
Nunca sonhei em ser poeta. Escrever sempre me foi natural. Desde criança me encantava com os gibis e posso até afirmar que já era um leitor antes de aprender a ler. Adorava Mauricio de Sousa; foi natural começar a escrever e foi natural que isso evoluísse.

Eu comecei a publicar meus poemas no Facebook no final de 2011 por um incentivo de uma amiga, que pedia para eu divulgar meus trabalhos pela internet. Até então eu nem pensava nisso; o barato mesmo era escrever. Até que no final do mesmo ano, me atrevi em publicar minhas poesias no Facebook. Eis que logo depois me veio a incrível ideia: o Blog. Assim nasceu o fala-campeao.blogspot.com (o nome é meio estranho, mas sintetiza meu lado batalhador). 

Eu não sonhava em quantas pessoas iriam acessá-lo; não tinha noção disso, era tudo muito novo pra mim. Fiz como uma espécie de diário maldito, onde usasse a minha vida como matéria-prima dos textos que escrevia e publicava lá. 

E onde até hoje publico, não somente poesias mas fotos também. Alguns poetas usam a vida como matéria-prima, e era a linha que eu queria seguir - e sigo - sem me preocupar com o julgamento alheio. Até por que não eu não estou perguntando nada pra ninguém, estou apenas escrevendo. 

É claro que a facilidade do contato da pessoa que publica tanto no Face quanto no Blog está ao alcance de um dedinho para qualquer um opinar. Isso é fato, e na maioria das vezes, o covarde se utiliza do anonimato para dar 'tiros pelas costas'. Mas a opinião de outrem não me intimida. Enfim, criei o Blog e desde então me tornei um blogueiro. Sem estilo literário. E, talvez, sem público.


A POESIA

Sou poeta de parede. Nela, desenho minha arte em forma de poema. Fazer poesia faz bem à alma e é um alimento sustentador para o corpo e a mente porque vivencia palavras, que ora atraem, ora repelem, os sentimentos de quem ler. 

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Lançamento do Edital Cultura de Audiovisual acontece nesta terça

Por Marcia Carvalho - Agência Pará de Notícias

A diretora da Ancine, Rosana Alcântara, fará palestra no evento (foto: divulgação)
A Cultura Rede de Comunicação faz na próxima terça-feira (12), a partir de 8h30, o seminário de lançamento do Edital Cultura de Audiovisual, com a presença de dois representantes da Agência Nacional do Cinema (Ancine): o coordenador de Planejamento de Fomento, Rodrigo Camargo, e a diretora Rosana Alcântara, que fará uma palestra sobre o panorama do mercado audiovisual brasileiro. O evento é gratuito e não exige inscrição prévia.

Publicado no Diário Oficial do Estado no último dia 5 de agosto, o Edital Cultura de Audiovisual destinará R$ 3 milhões para a produção de quatro séries paraenses de ficção, documentário e animação. Do total de recursos, R$ 1 milhão será proveniente da Cultura Rede de Comunicação e R$ 2 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual, da Ancine.

O edital prevê a seleção de dois projetos de ficção, que receberão R$ 1 milhão cada; um de documentário e um de animação, que receberão R$ 500 mil cada. Poderão ser proponentes produtoras paraenses independentes, com registro regular e classificadas na Ancine. Cada empresa poderá concorrer com até três projetos e as obras audiovisuais deverão ser realizadas 80% em solo paraense, com a contratação de artistas e técnicos locais.

Belém recebe turnê de dança

Por Vitor Barros



Depois de conquistar plateias do Brasil e do exterior, Belém do Pará recebe a turnê “As canções que você dançou pra mim”, com a Focus Cia de Dança, do Rio de Janeiro. Com apresentações marcadas para os dias 15, 16 (21h) e 17 (20h) de agosto, no Teatro Estação Gasômetro, a companhia também vai realizar uma oficina gratuita de dança contemporânea para bailarinos profissionais. Inspirada no universo musical de Roberto Carlos, a turnê é uma realização do Ministério da Cultura com o patrocínio de O Boticário na Dança. A produção local é da Cia Arte e Produções.


SERVIÇO:
Data: 15, 16 e 17  
Hora: 15 e 16 às 21h e dia 17 às 20h
Local: Teatro Estação Gasômetro (Parque da Residência - Av. Magalhães Barata, 830)
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).
Informações: (91) 96055360/82013973 e ciadearteprojetos@yahoo.com.br

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Arthur Nogueira participa do pré-lançamento de “Peixe Nada”

Por Dobra comunicação
Foto: Divulgação
Arthur Nogueira se une à banda Strobo e adianta o repertório de seu novo disco em Belém. A cidade natal do artista será a primeira a conhecer o resultado das parcerias com Antonio Cicero, Omar Salomão, Marina Wisnik, Letícia Novaes e outros nomes de diferentes gerações da música brasileira. 

Com lançamento marcado para o segundo semestre de 2014, pelo selo "Joia Moderna", do DJ Zé Pedro, o álbum "Peixe Nada" tem produção musical de Strobo e Marcelo Segreto e direção artística do jornalista Marcus Preto.

Em meio ao processo de construção do álbum, o show de pré-lançamento transportará para o palco a potência dos encontros travados no CD. Com Leo Chermont, responsável pela guitarra e efeitos, e Arthur Kunz, à frente da bateria e das programações, o espetáculo ganha, a partir do uso de timbres e equipamentos eletrônicos, um som mais experimental, sem abandonar, no entanto, sua intenção claramente pop. 

Apontado pelo jornal carioca O Globo como o artista “responsável por renovar a tradição dos poetas na canção brasileira”, Arthur Nogueira se mantém contemporâneo, unindo refrões de música pop e poesia, sons eletrônicos e acústicos e, sobretudo, o Pará ao resto do Brasil.

Serviço:
Arthur Nogueira - Pré-lançamento do CD “Peixe Nada” 
Participação especial: Strobo
12 de agosto de 2014, às 20h.
Teatro Margarida Schivasappa (Avenida Gentil Bittencourt, 650).
R$ 20 (inteira) -  R$10 (meia) *mediante apresentação de carteira de estudante ou do pôster do show impresso.
Ingressos antecipados à venda nas lojas Ná Figueredo (Av. Gentil Bittencourt e da Estação das Docas). 

Apoio:
Governo do Pará 
Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves
Doceria Abelhuda
Lojas Ná Figueredo 

Assessoria de Imprensa:
Julianna Sá - juliannacsa@gmail.com


Sepultura lança "Metal Veins - Alive at Rock in Rio" com Les Tambours du Bronx

Por Fabiana Fuchs - Approach


Em comemoração aos 30 anos de carreira, o Sepultura lança mundialmente em Setembro seu novo álbum “Metal Veins - Alive at Rock in Rio” com o grupo de percussão francês Les Tambours Du Bronx. O lançamento é uma parceria do Rock in Rio com a MZA Music, a Eagle Rock e a Sony Music Brasil, que levarão aos fãs do mundo inteiro esse registro histórico feito no maior festival de música do mundo.

O show, gravado no Palco Mundo do Rock in Rio 2013, em um dos dias dedicados ao Heavy Metal, levou 85 mil pessoas a cantarem do início ao fim sucessos da banda como "Refuse/Resist", "Territory" e "Roots Bloody Roots". Além disso, o show conta com o cover “Firestarter” do Prodigy e “Sepulnation”, o hino dos fãs do Sepultura.

O lançamento conta ainda com um documentário exclusivo que registra toda a preparação das bandas para o show, com relatos de seus próprios integrantes, cenas de ensaios, bastidores, passagem de som e os minutos antes do show.

O álbum estará disponível em CD, DVD e formatos digitais. No exterior, o álbum chega também em formato Blu-Ray, o primeiro da banda.

Histórico - Em 2011, o festival promoveu pela primeira vez este encontro inusitado, convidando as duas bandas para uma apresentação no Palco Sunset — palco que promove grandes momentos e encontros entre artistas. A parceria fez tanto sucesso que cresceu e, no ano seguinte, eles também se apresentaram juntos no Palco Mundo do Rock in Rio-Lisboa (em 2012). Em 2013, Sepultura e Les Tambours Du Bronx voltaram à edição carioca do Rock in Rio, onde tocaram no gigante Palco Mundo brasileiro.


Músicas:

1. Kaiowas

2. Spectrum

3. Refuse / Resist

4. Sepulnation

5. Delirium

6. Fever

7. We've lost you

8. Firestarter (Prodigy cover)

9. Requiem

10. Structure violence

11. Territory

12. Big hands

13. Roots bloody roots
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...